Buscar
  • Gandhy Piorski

A disenteria do rei: devemos guardar nossas crianças!

Dedico esse texto ao herói Janusz Korczak, médico e educador polonês, e às suas 200 crianças.


Sabe-se, desde muito, de um inescapável elo entre as narrativas de intestino e a insanidade mental. Se buscarmos antigas iconografias, ou contos de fadas, ou mitos de engolimentos, entenderemos que o intestino é uma imagem primordial da transformação da consciência, a fábrica de assimilação das propriedades vitais e a doação dos estercos, dos excretos, dos adubos, das possibilidades de fertilização.

Mas, no mundo onírico, as imagens que emanam seus fachos de luz das profundezas longínquas e escuras, de dobras resguardadas e sinuosas, de enseadas abissais, não estão em linearidade. Essas mesmas imagens de transformação da consciência, atribuídas ao intestino, também podem se cambiar em imagens de contaminação, envenenamento, intoxicação, entupimento, regurgito, vazamento, golfo e revolto.

Quando o intestino não funciona, quando está impedido, comprometido, carcomido, a merda que deveria sair e adubar, se (re)volta e sobe, vaza, em forma de toxina. Apodera-se da corrente sanguínea e contamina o vivente, corrompe o polo oposto à saída fecal, que é a saída oral. Em alguns gera DIARREIA VERBAL.

Isso pode ser entendido de forma literal, carnal, biológica. Haja vista às pesquisas científicas, já exaustivas, mostrando o intestino como o segundo cérebro, 200 a 600 milhões de neurônios.

Mas não é do biológico e sim do simbólico que quero falar.



Para isso, vamos antes, a uma imagem, que é NARRATIVA constante do PRESIDENTE DA NAÇÃO BRASILEIRA. Sendo narrativa de uma pessoa, é, portanto, a própria pessoa. Pois somos reconhecidos por todos, justamente, por aquilo que narramos de nós e dos outros.

Importante e central: não é a narrativa de qualquer pessoa, e sim do presidente da República Federativa do Brasil.

Terça feira de carnaval, no clímax de suas emoções (em)FEZADAS, o tal presidente postou uma imagem grotesca, anal, disentérica. Sem qualquer decoro, não levou em conta as senhoras de boa família eleitoras dele, que tanto se arrogou defensor. Muito menos ainda, quis saber de todos os outros brasileiros que não votaram nele e, nunca, desde o começo, toleraram sua fixação anal.

Em especial, num ato falho trágico, foi irresponsável, incauto, leviano, estouvado e criminoso (Estatuto da Criança e do Adolescente) com sua obrigação de PRESERVAR AS CRIANÇAS, OS INOCENTES filhos de seus eleitores - e não só - que o acompanham nas redes sociais.

É o SEGUNDO ATAQUE ÀS CRIANÇAS, que parte da casa do presidente, em menos de uma semana. O primeiro de desonra, o segundo um crime tipificado.



Esse buraco subterrâneo que é o anus é uma imagem antiga de terror e medo. É escuridão e fascínio. Um orifício da descida à própria matéria psíquica.

Quem limpa os estábulos de Áugias cheios de merda, ou atravessa o pântano de matéria podre de Estífalo, são só os de coração verdadeiro, os heróis. Os covardes sucumbem e sequer chegam perto. A não ser pela queda, pelo terror da desagregação da personalidade, pela perda total da razão. Só lhes restando aí, o atoleiro.

Hércules foi limpar os estábulos, que nunca haviam sido limpos, do maior rebanho - propriedade do rei Áugias, de Élida - que já se ouvira falar. Cumpriu assim, mais um de seus doze trabalhos, colocou a mão na massa da matéria fermentosa inconsciente e não só sobreviveu a ela, como também elaborou transmutação.

Isso é muito diferente da fixação anal do poltrão e triste capitão. Entretanto, não deixa de ser perigosamente, INVERSAMENTE, a mesma matéria prima, a mesma energia inconsciente, com a qual Hércules contatou.

Desde o começo, a mobilização ideológica do dito presidente, tem sido fundamentalmente em torno do ânus. Um orifício de grande valia política a um presidente! Sua errante estratégia de capitalização política é o cu.

No carnaval presenciamos mais um de seus ápices pulsionais. Mas não só dele. Também de uma enormidade de brasileiros que lhe devolveu em gritos uníssonos seu tema (pre)FERIDO, fixaram-se, em coro altivo e concêntrico, no próprio orifício do presidente.

Resposta retumbante a esses típicos megalóides autoritários que, de súbito, se veem perdidos como a mariposa, em desespero, se batendo contra a ofuscante LUZ QUE EMANA DO POVO DE UMA NAÇÃO FESTIVA.


Por falar em megalomania, aqui chego, com mais rapidez do que gostaria, no meu recado essencial: Nero, Calígula, Herodes e Hitler, só pra citar alguns, sem passar pelos pedófilos, também, todos eles, transitaram em torno dessa inversão de curso da energia psíquica, criativa. Cada um deles manifestou aspectos doentios de fixações anais e orais.

Atolaram-se e sucumbiram obstinadamente na merda, no buraco escuro, na fedentina. Obsedaram com sua libido, como é próprio dos sádicos, os poderosos símbolos da MORTE.

Sadismo é libido, energia criativa, atada, algemada, aos instintos de morte e degeneração.

Não por acaso, esses auto nominados reis, tiveram atitudes e curiosidades aberrantes, invertidas, sobre as crianças (como origem da vida) e as mães.

Herodes e o infanticídio dos primogênitos.

Nero abriu o ventre da mãe para saber de sua origem.

Calígula estripou uma mãe com a criança em seu útero.

Hitler, pra citar um único exemplo, matou o educador polonês Janusz Korczak que se absteve inequivocamente da covardia. Mesmo tendo duas oportunidades de ser resgatado do campo de concentração, decidiu morrer exterminado ao lado de seus 200 alunos, crianças judias. Preferiu, com o brilho da consciência no Herói, limpar com aqueles meninos e meninas os estábulos de Áugias, morrendo a bala com todos no campo de Treblinka.

Portanto, GUARDEMOS NOSSAS CRIANÇAS, o rei está disentérico!

Quem governa essa nação hoje, não tem respeito pela vida e menos ainda pelos nossos filhos e filhas. .

A empatia, a felicidade, a generosidade, todas essas virtudes, trabalham pela beleza, pelo bem estar de todos, pelo cuidado com os que estão no início da vida, pelo esforço incansável de ver uma nação unida.

Por falar em beleza, Viva a campeã VERDE ROSA e viva para sempre a cor salvífica do chakra do coração (também VERDE ROSA)!!!